Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Quem Somos

O Externato O Lar da Criança é uma escola onde todos os saberes são válidos, na qual os alunos aprendem um pouco de tudo e a curiosidade pelos saberes latos é estimulada, onde existem tempos de curiosidade formal e informal, além de ser dada rédea solta à imaginação e à brincadeira criativa. Mas sempre em disciplina e respeito por todos e cada um, que as normas, de acordo com os nossos princípios, são de fundamental importância na estruturação da pessoa.

Acreditamos, e defendemos, tal como a Bertinha, fundadora do Lar da Criança, que o tempo de infância escolar tem de ser bom: feliz, capacitante, apetrechador de futuro, de saberes vastos. Os nossos alunos têm, principalmente, de ser felizes, sabendo o máximo possível de tudo. Mas também têm de saber falar verdade, de olhar nos olhos frontalmente, de respeitar o outro, de virem a ser gente decente. Homens e Mulheres intelectualmente respeitáveis mas, simultaneamente, pessoas capazes de aceitar a diferença e de a respeitar, de serem solidários e, à sua própria imagem e semelhança, absolutamente justas.

A relação entre educadores, professores e alunos mantém-se particular. N’O Lar da Criança, a todos é prestado o mesmo cuidado que um pai ou uma mãe dedicam aos seus filhos como um todo, mas também isoladamente. A norma é que cada aluno é alguém a quem deve ser dada uma atenção especial. Iguais no cumprimento das regras estabelecidas, no respeito pelos princípios que sempre nortearam a escola, continuam, contundo, a ser tidas em conta as vicissitudes de cada um, a sua maior ou menor facilidade na aprendizagem, os seus problemas familiares e/ou saúde, o perfil das suas personalidades.

Desde o início, sempre existiu n’O Lar da Criança a grande preocupação em envolver os pais dos alunos no conjunto da vida escolar. Para nós, o convívio entre os pais e a escola nada tem de ameaçador, muito pelo contrário, é considerado estimulante, e deverá ser, sempre, estimulado. Na construção da grande família que pretendemos que seja a nossa escola, os pais não podem ficar de fora. Os pais são permanentemente chamados pelas mais diferentes razões: para se trocarem impressões sobre os comportamento e aproveitamento dos filhos; para saberem com exactidão o que estão a aprender os nossos alunos; para serem ouvidos, ouvirem e participarem na vida da escola, não apenas como espectadores mas também na qualidade de intervenientes. Pretendemos que, a pouco e pouco, os pais vão ganhando, também eles, uma relação profunda, não só com a escola em geral, mas com todos e cada um em particular: com a diretora, com as professoras e educadoras, com as auxiliares, com os colegas dos filhos. Se os alunos se sentem bem na escola, esse sentimento acaba por ser partilhado pelos seus pais que não perdem uma oportunidade para passear pelas instalações da escola como se estivessem na sua própria casa

Verdadeira família nascida em 1950, pelo O Lar da Criança já passaram centenas de alunos. Quase todos voltam vezes sem conta para uma visita, mesmo que breve. Entre os antigos alunos e respetivas famílias, o sentimento em relação a esta escola é o de um orgulho saudável, associado a uma gratidão pelo privilégio de aqui terem vivido uma fase significativa e determinante das suas vidas. Escola aberta às famílias e ao exterior, onde a consciência dos grandes valores universais que importa preservar são estimulados, tanto na sala de aula como em permanentes visitas de estudo, aqui também se aprende a preservar o ambiente, a defender a paz, a seguir um trajeto de justiça, verdade, tolerância, solidariedade, companheirismo e cidadania.